More than 100,000 French tourists will visit Peru this year, estimates Mincetur

IMG_2252

Last year, about 96,283 visitors from the European country arrived in Peru according to data from the Ministry of Foreign Trade and Tourism. What attracts French visitors? Here the answer.

By the end of 2018, the arrival of 100,000 French tourists to our country will be exceeded for the first time estimated by the Ministry of Foreign Trade and Tourism (Mincetur), through the Commercial Office of Peru in Paris (OCEX Paris).

Aldo Parodi, commercial economic advisor of the OCEX Paris, highlighted the continued growth of French tourism to Peru in recent years, which was reflected in 2017 with the arrival of 96,283 visitors from the European country.

The growth of French tourism in our country is the result of an aggressive promotion campaign in specialized fairs, roadshows, workshops and door to door training for tourism professionals, press tours, familiarization trips and business tours for tour operators, among others. activities, “he explained.

The director of the commercial office gave these statements in the framework of the 40th edition of the IFTM Top Resa Professional Tourism Exhibition in France, where Peru participated with a stand after two years of absence.

“The return of Peru to this important fair is the result of a joint work of the public sector, through the OCEX Paris, and the private sector,” Parodi noted.

Peruvians in France
The Peruvian pavilion showed the circuits of the traditional tourist offer, the route of the north of the country with Kuélap, as the main attraction, as well as the Amazon and its natural beauty, the solidarity tourism that, for the French operators, increases in interest.

Peruvian coexpository companies present at the stand were Face au Perou, Inca Rail, Lima Tours, Relais & Chateau Sol y Luna, Solmartour, South Amerique Destination, Terres Magiques, Tierra de los Andes, Viajes Pacifico and iTerra Peru Aventuras.

All expressed their satisfaction for the national exhibition and the reception of the French tourism professionals, which allowed them to close deals for about US $ 12 million.

The Professional Tourism Exhibition brought together the best of the world tourism offer. In the 30 thousand square meters of exhibition, 181 destinations were promoted in an environment where travel agencies, tour operators, airlines and other services related to the tourism sector converge.

This event was held in the Exhibition Park of the Porte de Versailles, in Paris, from September 25 to 28, 2018.

Anuncios

Peru is second best adventure destination for Australian tourists

IMG_2302

In order to learn more about Australians who practice adventure activities at an international level, Intrepid, an Australian company specializing in this type of tourism, has published the study “Adventure Travel Index 2018”. The results highlight the main motivations, preferences and trends for 2019 of tourists from this oceanic country.

What do Australian tourists look for in their adventure trips? For Australians, traveling by adventure means going out of the ordinary, trying new things and doing activities that produce adrenaline. For these tourists, travel is related to marking milestones in their life, such as reaching the age of majority, the end of school, birthdays or anniversaries.

According to Intrepid, the main adventure destination for Australians is Vietnam. Peru ranks second, followed by India, Cambodia and Morocco. For Australians traveling as a family, the top 5 destinations are Vietnam, Thailand, Malaysia, India and Sri Lanka. And among those who travel alone, Peru occupies the fourth position.

The most popular activities for Australians are cycling and tasting local food. Thanks to its gastronomic and geographical characteristics, Peru could stand out in these categories.

TRENDS FOR 2019

• Millennials will seek to hire responsible business services with transparent, sustainable practices and brands associated with ideologies or related causes.

• Adrenaline will overcome the benefits of relaxation. Travelers will seek to stay active and practice trekking, cycling and kayaking. It is worth mentioning that Peru has ideal places for this type of activity.

• Adventurers traveling individually will join group tours in difficult destinations to travel alone, such as Iran, Jordan, Kazakhstan and Ethiopia.

• Ethiopia, Zimbabwe, Moldova, Greenland, Kazakhstan and Hungary will be popular destinations to visit.

• The itineraries become theatrical stages for tourists, who will tell the stories, experiences and emotions of their trips.

In this regard, PromPerú’s TurismoIn ​​service highlights the following: It is worth mentioning that, in 2017, there were 41,810 arrivals of Australians to Peru, according to Mincetur. In addition, according to the “Foreign Tourist Profile” of PromPerú, 68% (28 281) included adventure activities in their travel itinerary. In the last five years, this segment of adventure tourists grew 13% on an annual average.

National Day of the Cuy: How many races exist in Peru?

124747

The country has a population of more than 16 million guinea pigs, being the country that has the largest population of this species in South America

Today is the National Day of the Cuy and in our country there are four races of this species that benefits more than 800,000 families nationwide. Thanks to the excellent nutritional characteristics of its meat, it contributes to the food security of the population.

The regions where guinea pigs have been most developed are the northern highlands of the Cajamarca, Lambayeque and La Libertad regions, followed by the central highlands (Junín, Pasco, Huánuco, Lima) and to a lesser extent in the southern highlands (Arequipa, Apurímac , Cusco, Huancavelica, Ica, Moquegua, Tacna and Puno).

According to the National Program of Minor Animals of the National Institute of Agrarian Innovation (INIA), guinea pig breeds are called Peru, Andean, Inti, and interracial or synthetic guinea pig, which is the product of the crossing of the three previous breeds.

The characteristics of the Peru breed is its precocity (it reaches a weight of one kilo in just 8 weeks), in addition to having a good meat yield.

The Andean race is prolific, as its offspring that are born by birth are three or four. Meanwhile, the Inti race has two productive characteristics, such as achieving good weight and being prolific in reproductive terms. In turn, the interracial race is fundamentally precocious in its organic development, reaching size and weight in relatively short periods.

Peru is the country that has the largest population of guinea pigs in South America and is the one that most opted to investigate this species to give it value, but there are breeding areas in the Andean provinces of Ecuador, Colombia (department of Pasto) and Bolivia (Cochabamba).

The recognition of the genetic bases expressed in the breeds of these guinea pigs led to requests for training and technology transfer that come, in general, from government entities, such as the National Apprenticeship Service (Sena) of Colombia.

The technological advance and the experience developed in the study of the guinea pig constitute the contribution of INIA, through the Cuyes Project, which is part of the National Program for Minor Animals, created in February 1964.

The genetic bases, that is to say the races, of the guinea pig are recognized in other countries. To this we must add that the national production of guinea pigs is very technified, so countries such as Bolivia, Ecuador and Colombia seek to import these animals.

Six reasons to visit Cusco, the navel of the world

Cusco is one of the most beautiful destinations in our country and the citadel of Machu Picchu is its main attraction.

www

Cusco is undoubtedly one of the favorite destinations for foreign and national tourists. And how not to be, this city has many attractions. The railway company Inca Rail tells us what are the six main reasons why you should visit it.

1. Traditional and organic gastronomy. Cusco has a great gastronomic variety that has transcended from generation to generation and allows tourists to enjoy typical dishes of the ancient settlers with totally natural inputs.

2, Culture and folklore. This city stands out for its cultural and folk diversity that can also be enjoyed in nearby towns.

3. Tourist activities and extreme sports. Tourists can choose to make ecotourism, experiential or cultural tourism and for those who prefer adventure tourism can do trekking or hiking, rafting, paragliding or cycling.

4. Archaeological diversity The most important constructions are found in the city of Cusco, from churches, convents and museums. In addition, on each street stand out from their facades, to the frames of their doors and windows.

5. Quality products. In Cusco there are the best vicuña and alpaca textiles, and gold and silver products of the highest quality and design.

6. Tourist places. In addition to the winning destination of various recognitions, Machu Picchu, there are other places in the land of the Incas worth visiting such as the Sacred Valley, the Cathedral of Cusco, Moray, Tambomachay, Piquillacta, Museum of Pre-Columbian Art, Church of the Company of Jesus, Church of San Pedro, Huchuy Qospo.

Peru: 9 experiências de viagem que você deve viver antes de completar 30 anos

Que experiências de viagem você deve ter ao cruzar esse estágio? Nós compilamos uma lista de aventuras que você pode se encorajar a realizar no Peru antes de chegar aos 30 anos.

IMG_4458

Quando completamos 20 anos, o desejo de viajar com amigos ou familiares para conhecer diferentes partes do Peru e do mundo aumenta. Portanto, preparamos uma lista de experiências que você deve viver em nosso território antes de completar 30 anos.

1. Navegue pelo rio Amazonas. Seja de barco ou cruzeiro. Este rio convida a cruzamentos cheios de descobertas. Você pode chegar a Iquitos (e juerguear) de Pucallpa (leva quatro dias) ou de Yurimaguas (dois dias). Do porto de Nauta (Iquitos), vá para Pacaya Samiria e atravesse a confluência dos rios Ucayali e Marañón, onde nasce o Amazonas.

2. Contemple o “pôr do sol” em uma praia do norte. Em Punta Sal (Tumbes) ou Vichayito (Los Órganos – Piura) você verá as nuances do céu, do azul ao vermelho, com a calma ao redor ou com um copo de bebida na mão. Aprecie o show e tire as melhores fotos.

3. Ande um mercado local. Aproveite os pratos nativos da região, enquanto conversa com as pessoas do lugar. Há aromas e sabores que são únicos, como o de pão chapla de Ayacucho ou chuta (e tamales de milho) no mercado de San Pedro (Cusco).

4. Faça a Trilha Inca. Abrange cerca de 40 quilômetros de altos e baixos através de colinas que nossos ancestrais viajaram. É uma aventura de quatro dias (embora possa haver dois), caminhadas de dia inteiro e acampamento entre as montanhas e a selva. Desde maio é ideal porque as chuvas reduzem sua intensidade. Se a rota é muito longa, pelo menos a Huayna Picchu (a parte mais alta) sobe.

5. Dance uma dança local em uma grande festa. O Peru tem centenas de opções em todo o país (huayno e huaylarsh na serra, marinera ou celebração no litoral e muitos tipos de danças amazônicas). Esqueça os passos e deixe a música dominar seu corpo. Cada zona tem sua própria dança.

6. Faça um casal fugir para um destino que você nunca tenha visitado. As piscinas naturais de Millpu (Ayacucho), a montanha de Siete Colores (Cusco) ou a cachoeira de Gocta (Amazonas) são apenas alguns dos lugares alternativos no Peru que você pode visitar em companhia.

7. Coma algo que você nunca mais comeria. De preferência algo exótico. Experimente o tradicional suri ou simplesmente não recuse novos sabores. Afaste-se dos pratos bem conhecidos. Frutas e vegetais que só crescem no lugar que você visita podem ser deliciosos.

8. Viaje de moto ou carro em uma área inóspita. Tenha em mente que às vezes é melhor aproveitar a rota do que o destino. Você pode viajar estradas, trilhas ou até mesmo campos sem restrições. De carro, você pode ir pela Panamericana Norte: mais de mil quilômetros com praias e cidades de rica tradição.

9. Visite pelo menos dois Patrimônios da Humanidade do Peru. Machu Picchu, o Parque Nacional de Huascarán, o Parque Nacional de Manú, Caral ou o Sítio Arqueológico de Chavín são apenas algumas das opções que você tem em nosso país.

National proud! Machu Picchu is chosen ‘Best tourist attraction in South America’

IMG_3908

Peru received four international awards at the ‘World Travel Awards South America‘ 2018, reported Promperú. Among them: Best culinary destination in South America.

Peru won four important awards at the ‘World Travel Awards South America’, one of the most prestigious events in the travel and tourism industry, reported Promperú.

Our country was awarded in four categories: Best culinary destination in South America, Best cultural destination in South America and Best tourist attraction in South America: Machu Picchu.

In addition, Promperú won the award for Best Tourism Office in South America for the third consecutive year.

The ceremony took place in the historic Crystal Palace of the city of Guayaquil in Ecuador and was attended by the leading experts in the industry.

“These triumphs are a joy for us, because they show the articulated work between the public and private sector, as well as putting our country’s value before the eyes of the world, consolidating us as a destination full of history, culture, nature and a delicious gastronomy. recognized at a global level “, said the director of Tourism of Promperú, Marisol Acosta.

The winners of the South American edition will compete in the world edition, which will be held on December 1 in Portugal. Peru is nominated in three additional categories: Best tourism website: Peru.travel, Best green destination and Best short vacation destination (‘City Break Destination’): Lima.

The World Travel Awards are considered the ‘Oscars of Tourism’, according to the prestigious American newspaper “The Wall Street Journal” and have 25 years of experience recognizing excellence in all sectors of the tourism industry and travel around the world.

The winners are chosen thanks to the vote of the public in the “online” platform of the organization, in which tourism professionals, entrepreneurs of the sector and travelers from different places participate.

Cuzco: 48 horas no umbigo do mundo

IMG_1298

A cosmopolita capital inca mescla a essência do passado histórico com os novos tempos que moldam uma cidade incrivelmente versátil

Finalmente você vai cumprir um dos seus sonhos: você está prestes a desembarcar em Cuzco, a capital do antigo Império Inca, e você morre de vontade de comer a cidade.

No entanto, o seu planejamento só lhe permite desfrutar de suas ruas de paralelepípedos, suas mulheres com trajes regionais multicoloridos, seu rico valor patrimonial e suas barracas de rua por algumas horas: 48, para ser exato.

Por onde começar? O que não deve perder? Como aproveitar e espremer cada minuto que você passa neste pequeno canto do mundo? Não entre em pânico. Especialmente porque se Cuzco tem alguma coisa, é que merece que você entre com paciência e tranquilidade.

Então, observe: começamos uma jornada, sem pressa, mas sem pausa, pelo umbigo do mundo.

DIA UM

8:30 h. Nós nos levantamos em nosso hotel de coquete no centro de Cuzco, ao pé do bairro modesto de San Blas e apresse o café da manhã com torradas, sucos e ovos em todas as formas e texturas.

IMG_0333

Dê uma olhada no mapa, seu guia, seu caderno cheio de anotações sobre o que ver e onde ir nesta mítica cidade do Peru, mas a overdose de informações paralisa você.

O local escolhido foi La casa de Mayte, um antigo edifício colonial colorido de branco e azul, onde você pode começar a sentir a alma de Cuzco.

Depois de ter certeza de que temos as reservas necessárias para guardar o que nos resta, saímos para a rua. O sol bate forte, embora o frio seja perceptível. No final do dia, estamos a 3.400 metros de altura.

9:30 h. Nós alinhamos a estrada para a Plaza de Armas de Cuzco, que neste momento já começa a zumbir com a atividade. Os turistas andam com suas câmeras penduradas no pescoço. Os moradores locais conversam vividamente nas margens ao lado do mítico Fuente del Inca que decora majestosamente o centro da cidade.

IMG_0543-HDR

Vamos parar por um segundo! Não faz mal observar bem onde estamos: possivelmente o espaço público mais surpreendente de toda a América do Sul. De um lado, a Catedral de Cuzco, um dos exemplos mais importantes da arquitetura colonial da cidade.

Para completar nossa visita, recebemos um guia de áudio que nos conta, entre muitas outras curiosidades, que a catedral levou quase um século para ser construída e que contém uma amostra bastante exemplar da arte de Cuzco, famosa por fundir a ética pictórica européia mais religiosa com as cores e iconografia dos artistas indígenas.

O exemplo mais claro? Nós o encontramos diante de uma de suas pinturas mais famosas, A Última Ceia, do artista quechua Marcos Zapata. Claro, no centro da mesa, como prato principal do banquete, uma cobaia assada. Que outra delicadeza poderia ser se não fosse?

Depois de percorrer cada uma das suas galerias e antes de continuar com a rota, nós pagamos nossos respeitos ao Inca Garcilaso de la Vega na igreja de Triunfo -comunicada com a catedral no interior, como a igreja de Jesus Maria-. Seus restos mortais descansam aqui desde que o Rei Emérito Juan Carlos I decidiu devolvê-los à cidade que o viu nascer em 1978.

11,30 h. Entre algumas coisas e outras, é meio dia. E menino, nós passamos fome! Paramos para tomar uma bebida em uma das lojas de café cuquis na área. Subimos as escadas para a Calle del Medio, no topo das arcadas de origem colonial com vista para a Plaza de Armas.

Procuramos um buraco nas varandas estreitas e nos refrescamos com uma limonada. Nós alucinamos tanto que visamos as opiniões como uma necessidade verdadeira.

12,30 h. Nós andamos por algumas das ruas de paralelepípedos do centro de Cuzco, deixando-nos a ser levado pelo seu charme. O mesmo nós tropeçamos em mulheres indígenas vestidas em roupas das cores mais brilhantes (com chamas domesticadas com as quais tirar uma foto para cinco soles), com lojas de material de montanha da última geração.

Não importa: tudo faz parte da cidade que Cuzco se tornou hoje. Uma mistura dos produtos culturais e empresariais mais tradicionais do século XXI.

Chega o momento de continuar conhecendo sua história, que por alguma coisa estamos na cidade mais antiga do continente americano – habitada sem interrupção -.

Em Qorikancha, descobrimos as ruínas incas do que era o templo mais rico de todo o império, construído por volta de 1200 aC. Quase nada. Segundo eles, as paredes do templo estavam cobertas por 700 folhas de ouro maciço de dois quilos de peso cada uma. Todo o material valioso que existia no interior foi saqueado com a chegada dos colonizadores. Com o tempo, seus restos se tornaram parte das fundações da igreja e do convento de Santo Domingo.

IMG_1108

15:00 E agora, é hora de entrar na autêntica cozinha peruana, cheia de nomes e sabores que não ouvimos em nossa vida, mas que fazem nosso paladar experimentar infinita felicidade.

Para isso, vamos a um local modesto na rua 248 Arequipa. No Restaurante Egos temos que dividir uma mesa e não há opção de pedir uma carta: o cardápio (geralmente composto por sopa, prato principal, bebida e sobremesa) é o que é e não há mais. Os pratos são tão abundantes que poderiam nos saciar o suficiente para durar uma semana, se necessário … ou bem, pelo menos até a noite.

20:00 Depois desta excursão interessante, voltamos a Cuzco. Mais uma vez, passamos pela Plaza de Armas para aproveitar, dessa vez, à noite. Embora seja o mesmo lugar em que andamos pela manhã, agora, iluminado, parecerá completamente diferente.

Apesar de estar cansado da intensidade do dia, nós paramos em um Cuzqueño clássico. No El Museo del Pisco, você pode saborear um dos seus coquetéis lendários ao som da música ao vivo. Para acompanhar, alguma cobertura de sua extensa carta (ainda temos almoço muito presente).

DIA DOIS

9h30 Ainda se recuperando dos piscos noturnos, deixamos o hotel sem saborear o café da manhã. Hoje queremos começar o dia no Mercado Central de San Pedro, um desses lugares onde você pode contemplar a essência autêntica da cidade.

Procuramos o stand de suco que mais nos convence entre os chamados de atenção de seus donos: todos querem se tornar seus clientes. Nós nos sentamos em um dos bancos e pedimos a mistura de frutas mais estranha que vem à mente: é o mesmo, qualquer combinação é possível aqui.

Nós caminhamos pelos corredores entre as bancas de batata (até 3.000 variedades diferentes existem no Peru!), Peixe, pães em forma de arco ou pomadas contra todos os tipos de doenças … Frutas e verduras cheiram como em nenhum outro lugar e suas cores intensas nos parecem pura fantasia.

11,30 h. Continuamos andando por algumas das principais ruas do centro. As empresas que mostram roupas de alpaca elegantes e caras em suas janelas são uma após a outra. Às vezes, eles são combinados com casas de câmbio ou agências de turismo, onde você pode comprar pacotes para explorar o Vale Sagrado ou o próprio Machu Picchu.

Passamos pelo convento de Santa Clara e cruzamos seu lindo arco. Aos domingos, a Plaza de San Francisco geralmente transborda de atmosfera. Aqui os camponeses da região se reúnem para conversar em quíchua, comer, brincar e se divertir em stands improvisados de gastronomia e lazer.

Descemos a Calle del Triunfo e encontramos um grupo de pessoas em volta de uma parede. É o antigo palácio da Roca Inca, que hoje abriga o Museu de Arte Religiosa, e o que causa tanta expectativa nada mais é do que ‘a pedra dos 12 ângulos’, considerada Patrimônio Cultural da Nação do Peru por sua singularidade, ótimo acabamento e linda perfeição.

14:00 O rugido de coragem nos adverte que é hora de comer. E estamos com sorte! Precisamente estamos juntos com Cicciolina, um restaurante bem cuidado no segundo andar de um antigo edifício colonial, onde você pode ter tapas na sua área de bar ou sentar na sua sala de jantar para desfrutar de uma refeição em grande estilo. A cozinha aberta nos permite mergulhar em todos aqueles cheiros que são apenas uma prévia do que está por vir.

17:00 É hora de entrar em um dos bairros mais pitorescos e autênticos de Cuzco. San Blas, com suas encostas íngremes, portas azuis e casas de arquitetura clássica, nos acolhe da parte inferior da encosta.

O bairro dos artistas por antonomasia é cheio de galerias e lojas de artesanato onde certamente vamos gastar mais do que pensamos. O ideal é se perder em suas ruas estreitas, subindo e descendo escadas (colocando nossos pulmões à prova e nossa adaptação à altura, tudo tem que ser dito) e vagando sem rumo.

Passamos a tarde deliciando-nos com o que é a vida nessa área da cidade. Sem tráfego ou barulho além do latido de um cachorro ou a conversa entre dois vizinhos, a essência de grande parte de Cuzco está aqui.

Na Plaza de San Blas paramos para visitar sua igreja, uma construção simples em adobe que é uma delícia. Do ponto de vista de San Blas, com toda a cidade espalhada aos nossos pés, desfrutamos de um dos mais belos pores-do-sol já vistos.

20,30 h. Continuamos em San Blas que, apesar de ser um pequeno bairro, é um longo caminho. Entramos no Km 0, um dos esconderijos de jogo que foi consagrado como ponto de encontro entre moradores e turistas, e pedimos uma cerveja Cusqueña para entrar na matéria. O resto vem sozinho. A música ao vivo é a companhia perfeita do picoteo e dos piscos que vêm depois. O tempo passa e, estamos tão felizes, nos esquecemos do relógio.

É a nossa última noite e não queremos que acabe. Ao sair, e antes de retornar ao hotel, um último capricho. Nós atravessamos o centro da cidade em silêncio, na solidão da noite, e gravamos o selo em nossa mente. Será uma das mais belas lembranças que tiramos do belo Cuzco.